O Sistema Correio de Comunicação está o primeiro debate da TV paraibana com transmissão em HD

O formato do debate da TV Correio está proporcionando o confronto direto entre os candidatos a prefeito de João Pessoa. Cara a cara os prefeitáveis não fugiram do embate e formularam perguntas ‘ácidas’ aos adversários. 
O primeiro a ser sabatinado foi o candidato do PT, Luciano Cartaxo. O tucano Cícero Lucena foi o primeiro a usar sua artilharia e questionou se o petista, caso eleito, vai manter na Secretária da Saúde da Prefeitura Municipal a atual secretária, Roseana Meia, que para ele, é uma má administradora. Cartaxo afirmou que secretariado é apenas escolhido após a eleição. Em seguida, ele apresentou propostas para melhorar a qualidade da saúde, como realização de concursos públicos e a implementação de três Unidades de Pronto Atendimento (UPA´s). Já o senador entendeu que Cartaxo apenas fugiu da pergunta.

Em seguida, o candidato Renan Palmeira (Psol) dirigiu-se ao púlpito, centralizado no estúdio e frente a frente a Cartaxo perguntou qual era a proposta dele para conter a degradação ambiental em João Pessoa. Uma das defesas de Cartaxo foi a preservação dos parque da cidade. Não satisfeito com resposta, Renan afirmou que o petista é o “plano B” da atual gestão socialista, já que segundo ele, ao proteger o meio ambiente e ao mesmo tempo ser a favor da Estação Ciência que “destruiu aquela área”.

O segundo candidato a enfrentar perguntas dos concorrentes foi a candidata do PSB, Estela Bezerra. Trazendo o Governo do antecessor Ricardo Coutinho para o debate, o prefeitável José Maranhão (PMDB) protestou se a socialista “dará continuidade a gestão de Ricardo Coutinho maltratando os camelôs, servidores e a população de João Pessoa”. Sem cair na ‘provocação’, Estela disse apenas acreditar que a continuidade é fundamental para Prefeitura da Capital. Na réplica, achando que sua pergunta não foi respondida, a repetiu. A socialista partiu para defesa do governador e afirmou que o peemedebista se referia “ao melhor prefeito que João Pessoa já teve”.

2º BLOCO

No segundo bloco, o primeiro sabatinado foi o candidato Cícero Lucena (PSDB). Quem realizou a pergunta foi o candidato Renan Palmeira (Psol). Nela, Renan questionou sobre o déficit habitacional de 20 mil famílias da Capital e citou a comunidade conhecida como 'Torre de Babel', construída por Cícero. O tucano disse que no momento em que foi prefeito, cuidou das famílias mais carentes e urbanizou 17 comunidades, incluindo a Torre de Babel. Cícero afirmou também que teve dificuldade porque o Brasil enfrentava uma crise econômica e o orçamento era baixo. Na réplica, Renan disse que as pessoas da comunidade viviam em condições desumanas, inclusive comprovadas pela ONU. Cícero rebateu e disse que a ONU nunca havia ido a Torre de Babel, que era uma mentira dos girassois.

Logo após, foi a vez da socialista Estela Bezerra perguntar a Cícero Lucena. A candidata questionou sobre 45 ações que o tucano responde na justiça. Em resposta, Cícero disse que ela aprendeu uma tática do seu patrocinador que é repetir uma mentira até que ela se torne verdade. Na réplica, Estela disse que ele fugiu do assunto e citou que a ação é de improbidade administrativa e formação de quadrilha, conhecida como Confraria, que é uma obra inacabada no Alto do Mateus. Cícero ressaltou que a ação é apenas de improbidade e que o pedido de bloqueio dos bens dele foi negado, provando assim sua inocência.

Depois, foi a vez do candidato José Maranhão (PMDB) ser sabatinado. Luciano Cartaxo (PT) perguntou sobre suas propostas para a área de habitação. O peemedebista disse que a cidade tem muitos problemas na área porque a gestão cuidou apenas em apresentar números que estão 'aquém' da realidade e prometeu resolver todos os problemas das comunidades da Capital. Cartaxo revelou que a presidente Dilma Rousseff comemorou a marca de um milhão de casas entregues e prometeu entregar 13 mil residências em 4 anos, caso seja eleito. Na tréplica, Maranhão disse que quem vai garantir a construção de casas não é o Governo Federal e, sim, a prefeitura.

Em seguida, o candidato Cícero Lucena questionou a José Maranhão o que ele achava de uma denúncia que o Governo do Estado estaria distribuindo Carteiras Nacionais de Habilitação (CNH´s), dentro do programa Habilitação Social, com apenas meia hora de aulas nas autoescolas. Maranhão disse que se tratava de um crime e, na tréplica, Cícero reforçou a ideia e disse que o Governo está usando o programa para garantir votos.

3º BLOCO

O último a ser sabatinado foi Renan Palmeira. Com os ânimos amenos, Estela e o candidato do Psol discutiram sobre políticas públicas para os negros. A socialista garantiu que irá garantir nível social e econômico dos negros, além de intensificar políticas públicas para o combate ao racismo. A socialista quer a efetivação de uma secretária para acabar com a prática do crime.

Maranhão foi o último a formular pergunta no debate, trazendo um dos slogans de campanha, que é o combate a corrupção. O peemedebista indagou a Renan Palmeira sobre o ‘caso Urquiza’, que teve uma filha inscrita no Programa Bolsa Família. Referindo-se aos demais candidatos, Renan disse que a “corrupção é uma mazela da classe política” representada pelos que estavam presentes no debate.
 
 O debate foi mediado pelo jornalista Heron Cid, colunista político do Jornal Correio da Paraíba e um dos apresentadores do Correio Debate (98 FM). As regras foram elaboradas pela Rede Record, para serem utilizadas pelas emissoras afiliadas em todo o Brasil. Duas horas antes do início do debate da TV Correio, o primeiro a ser transmitido em HD (High Definition) da Paraíba, as militâncias dos candidatos a prefeito de João Pessoa  se aglomeravam em frente ao Sistema Correio de Comunicação.
Com bandeiras, faixas e cantando os jingles dos candidatos, os correligionários deram apoio aos seus candidatos. Estiveram presentes a militância dos candidatos Estela Bezerra, José Maranhão e Cícero Lucena.
O debate da TV Correio foi transmitido pelo canal 12 da TV aberta e 19 da NET. O debate será mediado pelo jornalista Heron Cid e terá duas horas de duração.

Estrutura


O gerente de Marketing do Sistema Correio de Comunicação, Fred Araújo, informou que dois telões foram disponibilizados para a militância.

"Disponiblizamos telões, Samu e segurança para o conforto dos militantes", comentou Fred, informando que um trecho da Avenida Dom Pedro II está interditado.

O debate da TV Correio teve apoio da Polícia Militar, Semob, Sedurb, Semam e Emlur.

J1/ TV Correio