Em nenhum momento Lula se referiu ao mensalão. Cercado de seguranças, o ex-presidente afirmou que "qualquer prefeito pode fazer pontes e estradas, mas é difícil ter um gestor que cuide dos pobres".

Lula em João PessoaA participação do evento político pelo ex-presidente Lula ocorreu um dia depois da maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) acompanhar integralmente o voto do relator, Joaquim Barbosa
Eleições | Em 23/10/12 às 19h29, atualizado em 23/10/12 às 22h27 | Por Naira Di Lorenzo e Hermes de Luna

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não quis falar sobre o julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal, nesta terça-feira (22), em João Pessoa (PB). Ele participou de um comício do candidato do PT à Prefeitura, o deputado estadual Luciano Cartaxo. Apesar da assessoria do candidato ter agendado uma entrevista coletiva do ex-presidente, Lula fez um rápido discurso e foi embora.
Lula comparou sua gestão como presidente da República a dos antecessores. Disse que se juntassem os dez últimos presidentes ainda assim não bateriam sua marca em obras e recursos públicos que ele e o seu vice, José Alencar, trouxeram para a Paraíba nos últimos oito anos. Afirmou que os dois eram conhecidos por não ter diploma, "mas foi a dupla que mais construiu universidades e institutos federais de educação".
O ex-presidente não falou com a imprensa e pediu aos presentes, no início do discurso, que não se incomodassem quando interrompesse o discurso, porque ainda tem um edema na garganta. Ele justificou que o seu estado de saúde provocou sua ausência na campanha do primeiro turno das eleições em João Pessoa.
Em nenhum momento Lula se referiu ao mensalão. Cercado de seguranças, o ex-presidente afirmou que "qualquer prefeito pode fazer pontes e estradas, mas é difícil ter um gestor que cuide dos pobres".
Lula chegou à capital paraibana acompanhado do escritor Fernando Morais, autor de best sellers como 'A Ilha' e 'Olga'. Atualmente, Morais escreve a biografia de José Dirceu. Antes de discursar, o ex-presidente comeu tapioca, iguaria típica do Nordeste, feita de goma de mandioca. 

A participação do evento político pelo ex-presidente Lula ocorreu um dia depois da maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) acompanhar integralmente o voto do relator, Joaquim Barbosa, para condenar 11 dos 13 réus do 'mensalão'. O STF condenou o ex-ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu; o ex-presidente do PT, José Genoino; o ex-tesoureiro do partido, Delúbio Soares; os sócios-proprietários da agência SMP&B, Marcos Valério, Ramon Hollerbach, Cristiano Paz; o advogado da empresa, Rogério Tolentino, a ex-diretora da agência Simone Vasconcelos, e dos então dirigentes do Banco Rural, Kátia Rabello, José Roberto Salgado e Vinícius Samarane.

Das 50 cidades em que há segundo turno, 13 delas são capitais e o PT lidera em cinco, liderando as pesquisas em três delas — João Pessoa, São Paulo (SP) e Rio Branco (AC). Luciano Cartaxo ganhou no primeiro turno, quando obteve 142 mil e 158 votos (38,32%). O candidato do PSDB, Cícero Lucena, primeiro secretário do Senado Federal, ficou em segunda colocação com 75 mil e 170 votos (20,27%).

Lula desembarcou no aeroporto Castro Pinto, que fica no município de Bayeux (região metropolitana de João Pessoa) às 18h20. O ex-presidente seguiu em carreata ao lado do prefeito pessoense, Luciano Agra (sem partido), do presidente estadual do PT, Rodrigo Soares, e dos candidatos a prefeito e vice, o deputado estadual Luciano Cartaxo (PT) e o jornalista Nonato Bandeira (PPS). O movimento causou engarrafamento na BR 230, no trecho que liga a saída do aeroporto ao acesso do bairro de Mangabeira, onde foi realizado o comício.

O bairro escolhido é o mais populoso da capital paraibana. Com cerca de 76 mil habitantes o conjunto habitacional Tarcísio de Miranda Burity, caso fosse uma cidade, seria a sexta em número de habitantes e perderia apenas para João Pessoa (723.515 habitantes), Campina Grande (385.213), Santa Rita (120.310), Patos (100.674) e Bayeux (99.716).

O eleitorado do bairro de Mangabeira, em João Pessoa, é superior ao número de eleitores de 219 dos 223 municípios paraibanos. De acordo com dados do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), Mangabeira tem mais de 48,1 mil eleitores aptos a votar no segundo turno das eleições municipais.

Em João Pessoa são 480.237 eleitores, de acordo com levantamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A Paraíba possui cerca de 2,8 milhões de eleitores Mangabeira fica na zonal sul de João Pessoa e conta com 1.893 domicílios, sendo 87,17% de casas. O bairro é subdividido em conjuntos habitacionais que vão do Mangabeira 1 ao Mangabeira 8.
 
Pelos dados do Censo 2010 do IBGE, 94,40% dos moradores de Mangabeira são alfabetizados. No bairro, a renda per capita é de R$ 846,84, a 36ª maior renda de João Pessoa.
 
Em sua população, 10,31% estão na faixa etária entre 25 e 29 anos, o que corresponde a 7.835 habitantes. Mangabeira tem 40.144 mulheres entre seus moradores e 35.844 homens.
 
De acordo com o IBGE, o bairro abriga o 2º maior mercado público de João Pessoa, perde apenas para o Mercado Central, e a 2ª maior avenida da cidade, a Josefa Taveira, que abriga um grande número de estabelecimentos comerciais.
Comício em Mangabeira
Comício com LulaLula em João Pessoa
Lula em João PessoaJ1/PORTAL CORREIO