Enquanto garis cuidam de capinar e varrer as folhas secas, visitantes já limpam, renovam flores e saudades nos túmulos dos amigos e parentes. Alguns até adiantam as visitas para evitar a lotação no feriado

Pintura, muita água e sabão e força no braço. Às vésperas da celebração do ‘Dia de Finados’, tem levado muita gente aos cemitérios de todo o país, que começam a receber um número de visitantes bem maiores que nos dias normais. Nessa época, diversos parentes começam a dar uma atenção especial aos túmulos dos entes queridos que já partiram para a vida eterna.
No Conde, o cemitério da zona urbana tem recebido um número crescente de pessoas nos últimos dias, algo que pode ser atribuído à preparação dos campos santos para o dia 02 de novembro, quando os mortos serão lembrados de forma mais intensa.
No cemitério Nossa Senhora da Conceição no centro da cidade, as cores dos escritos nas pedras de mármore estão sendo reavivadas, túmulos desgastados pela ação do tempo recebendo reparos e novas cores, e muito sabão e água promovendo a limpeza de muitos mausoléus que durante meses ficaram expostos a sol e chuva.
Enquanto garis cuidam de capinar e varrer as folhas secas, visitantes já limpam, renovam flores e saudades nos túmulos dos amigos e parentes. Alguns até adiantam as visitas para evitar a lotação no feriado
Flores de plásticos já adornam entradas. Gente saudosa já ora por entre lápides e graças. Vassouras e baldes também circulam as dezenas num desfile apressado. Tratam de limpar a poeira e as folhas secas que sombra já não mais dá. Correm porque o Dia dos Finados é logo na sexta-feira, quando milhares voltam aos túmulos de seus mortos, rogar aos céus a eterna paz.
Muita gente prefere adiantar as homenagens aos amigos e parentes falecidos para evitar a lotação dos cemitérios no Dia dos Finados.










J1