Rosto do assassino confesso de Ana Alice foi divulgado pois Polícia acredita que ele tenha feito outras vítimas

51a9c1e2bc368fb124a3c27e84814a8a.jpgOs moradores do município de Queimadas,no Agreste da Paraíba, voltaram a ficar chocados nesta quinta-feira (8) após a Polícia confirmar mais um crime brutal ocorrido na cidade. Desaparecida desde o dia 19 de setembro, a estudante Ana Alice de Macêdo Valentin, de 16 anos, foi abusada sexualmente e em seguida asssinada. O autor do crime, preso nessa quarta-feira (7), confessou tudo o que fez com a jovem. Em fevereiro deste ano, Queimadas ganhou repercussão nacional por causa do estupro coletivo de cinco mulheres na cidade, das quais duas foram assassinadas.

Leônio Barbosa de Arruda, de 22 anos, foi preso no município de Caturité, região de Campina Grande. Após a prisão ele levou a polícia ao local onde havia enterrado o corpo da jovem e também admitiu a autoria de outro estupro consumado e uma tentativa registrados este ano na cidade.

Em depoimento, o criminoso afirmou ter abordado Ana Alice por volta das 17 horas, no município de Queimadas, quando ela voltava para casa após a escola. Armado de uma pistola calibre 12, Leôncio obrigou a adolescente a seguir com ele de carro até as proximidades da fazenda onde morava em Caturité. Lá, praticou o estupro e o homicídio. A pistola e o veículo usados para o crime foram apreendidos. 

Segundo a polícia, o suspeito vinha sendo monitorado desde o dia 31 de outubro, quando tentou estuprar outra mulher no município de Boqueirão, também na região de Campina Grande. Os delegados cruzaram essas informações com as do caso de Ana Alice e, assim, conseguiram chegar até o acusado, que foi inicialmente detido por meio de um mandado de prisão preventiva pelo estupro de outra mulher, ocorrido em fevereiro deste ano, em Caturité. 

 
Para o delegado geral adjunto de Polícia Civil, André Rebelo, a resolução do caso foi difícil por falta de testemunhas. “Ninguém tinha visto o momento da abordagem. Usamos a inteligência policial e o cruzamento de várias informações para chegar a esse rapaz que confessou que sua única motivação é sexual”, disse.

Leônio Barbosa vai ser indiciado por estupro, homicídio e ocultação de cadáver. Segundo os delegados que participaram da investigação e prisão do acusado, o rosto dele foi divulgado porque a Polícia acredita que ele possa ter feito outras vítimas.

PREMEDITAÇÃO
- A polícia concluiu, a partir do depoimento do acusado, que o estupro e morte de Ana Alice foram premeditados. Segundo o relato de Leônio Barbosa à polícia, ele acompanhou a rotina da estudante durante uma semana, anotando as horas em que ela descia do ônibus que a levava para Boqueirão, cidade a 30 km da casa onde ela morava, em Queimadas, ambas no Agreste paraibano. O suspeito violentou a estudante por cerca de quatro horas antes de executá-la, segundo a polícia.

 
Leônio afirmou que matou a estudante por temer ser pego pela polícia. Ele também detalhou que espancou Ana Alice com o cano da espingarda calibre 12 e a enterrou, junto com o seu material da escola, na fazenda em que ele trabalhava como vaqueiro.

O CASO - A estudante Ana Alice Valentin estava desaparecida há quase dois meses. Na última vez em que foi vista, segundo a família, a menina retornava da escola, no dia 19 de setembro deste ano. Um motorista a havia deixado em Queimadas, como todos os dias.

 
A mãe da garota, que só prestou queixa à polícia dois dias após o desaparecimento da menina, contou à polícia que a adolescente gastava em média 30 minutos do ponto que foi deixada até sua casa e que ficou preocupada com a demora, mas achou que ela tivesse ido estudar na casa de uma amiga. Ela justificou a demora para registrar o caso na delegacia afirmando que Ana Alice teria perdido muitas aulas após ficar doente e que acreditou que ela estivesse estudando com amigos para compensar.

J1