Eles não deixaram ninguém dormir
O que o amigo e a amiga vêem acima e verão nas fotos a seguir, é um exemplo de como não se deve proceder, Jovens recém saídos dos cueiros, após passarem a noite dançando e bebendo no Forrock, brigam para ver quem está menos bêbado para dirigir o veículo. Notem que o carro está parado no meio da rua, atrapalhando o trânsito das pessoas que precisam passar pela artéria, localizada ao lado do Retão de Manaíra. E o mais interessante são as palavras das moças e rapazes, gritadas ao vento e escutadas por quem queria dormir mais um pouco no feriado e não conseguiu: "caralho, buceta, porra e etc."
Fiquem com as fotos.
Noite de festa no Forrock de João Gregório, mais uma madrugada de insônia para os moradores do Portal do Bessa. Tem sido assim, sempre assim, nos últimos 20 anos. Toda véspera de feriado prolongado, o Forrock faz show, a turma enche a cara e acaba a tranqüilidade de quem mora na vizinhança. Principalmente os vizinhos residentes no Portal do Bessa. É que a rua, por ser de pouco movimento durante a noite, se transforma em atrativo estacionamento gratuito para os festeiros de João. A turma volta do Forrock pra lá de Bagdá, as mulheres baixam as calças, se acocoram e mijam na frente da gente e os rapazes, imitando-as, arrastam a chibata e irrigam a rua.
Nem sei que show foi esse da madrugada de hoje, só sei que ainda tem muito carro estacionado à essa hora. E já teve briga. Um filhinho de papai entroncado, bombado e mal criado, bateu boca com um pai de família. Parece coisa de transito. O rival tem jeito de empresário do Manaíra, já que seu carro estava no estacionamento destinado aos lojistas. O bate boca me acordou, fui à janela, vi os dois quase se pegando, os gritos estremecendo as paredes. O de fora, bombado, gritou e eu ouvi: -Não brinque comigo não, que sou filho de delegado.
De qual tipo de delegado não cheguei a descobrir. Deve ser delegado federal, pelo tamanho do carro, uma cabine dupla vistosa, que ele saiu dirigindo fazendo zig-zag em alta velocidade, capaz de bater nos carros estacionados ou derrubar algum muro. Não respeitou sinal de transito, tampouco quem ia ou quem vinha. Tomara que tenha cheg ado vivo em casa.
Eu disse delegado federal,mas pode ser estadual também. O salário de um delegado honesto não lhe permite o desfrute de ter carro tão caro, mas em todo lugar tem gente que obra milagre. Conheci um agente de investigação que tinha um Comodoro, no tempo em que Comodoro era igual ao atual Camaro da Chevrolet.