Operação de 'varredura' da PM contina ocorrendo em João Pessoa. Ligações com informações falsas diminuíram, diz tia da estudante.

Ligação falsa sobre paradeiro de Fernanda Ellen atrai curiosos na Paraíba (Foto: Walter Paparazzo/G1) As buscas pela estudante de 11 anos, Fernanda Ellen, continuam sendo realizadas pela Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Polícia Civil durante este sábado (12). De acordo com o coronel Almeida Martins, comandante do 1° Batalhão de Polícia Militar, a “varredura” feita na área de mata no Alto do Mateus iniciada na manhã de sexta (11), continua em curso e na manhã deste sábado foi ampliada também para a área da Ilha do Bispo, bairro vizinho.

Segundo o coronel Almeida, as buscas devem continuar ininterruptas até que toda a área de mata seja averiguada pelas equipes das polícias e Corpo de Bombeiros. “Não tem hora nem data para encerrar. Todo dia teremos uma equipe patrulhando aquela área no Alto do Mateus e agora também na Ilha do Bispo. Neste sábado trabalharam equipes da Forla Tática, da UPS (Unidade de Polícia Solidária) do Alto do Mateus, e do Núcleo de Policiamento da Ilha do Bispo”, explicou.
http://portalcorreio.uol.com.br/obj/82/112261,362,80,0,0,362,271,0,0,0,0.jpg
Ainda conforme Almeida Martins, a família tem colaborado em todos os momentos nos trabalhos de busca. A tia da criança de 11 anos desaparecida, Maria da Penha Cabral, explicou que um dos objetos encontrados pela polícia durante as buscas não foi reconhecido pela família como pertencendo a Fernanda. “A polícia mostrou ao pai dela um diadema que foi encontrado numa casa abandonada, onde também encontraram uma arma e um colchão. Mas o diadema não é de Fernanda. Toda família está mobilizada, os tios, primos e o pai acompanham a polícia nas buscas” comentou.

 http://3.bp.blogspot.com/-sb01wb-hKlk/UPGCrn7tGJI/AAAAAAAAI6A/24e9trDiZY0/s640/543213_326587047456801_1619645614_n.jpg
Maria da Penha Cabral informou ainda que o número de trotes diminuiu após os seguidos apelos da família para que as pessoas colaborassem apenas quando tivessem uma informação relevante. “Na noite de sexta (11), ligaram informando que ela (Fernanda) teria sido vista numa comunidade do Castelo Branco. O pai  e os tios foram até lá, mas não se tratava dela. Neste caso a menina encontrada tinha todas as características dela, era muito parecida, somente quem era parente podia identificar que não era Fernanda, por conta da semelhança”, ressaltou.
Caso sem pistas
No fim da tarde da quinta-feira (10), um homem foi detido suspeito de envolvimento com o sumiço da garota. Ele foi encaminhado para a sede da Secretaria de Segurança Pública da Paraíba, ouvido e depois liberado por falta de provas. Fernanda desapareceu na segunda-feira (7) quando voltava da escola e seguia para casa, no bairro Alto do Mateus, em João Pessoa. Desde então, a polícia já recebeu diversas informações sobre o possível paradeiro da garota.

J1/Asessoria