Bandidos explodiram carro-forte e deixaram bomba na casa do motorista. Testemunha diz que família ficou refém por cerca de cinco horas.

O Grupo de Operações Especiais (GOE) da Polícia Civil começou a ouvir as vítimas sobre o caso da família do funcionário de uma empresa de segurança e transportes de valores que foi feita refém na manhã desta segunda-feira (4) em João Pessoa. Quem está responsável pela investigação é o delegado Cristiano Jacques que, segundo a assessoria da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social, já ouviu quatro pessoas.

Uma testemunha que preferiu não se identificar por medo relatou a reportagem que os bandidos chegaram à casa da família, no bairro da Torre, por volta das 5h. No local, estavam seis adultos e três crianças, duas de 2 anos e uma de 11 meses. Os criminosos trancaram as vítimas em um quarto e fizeram diversas ameaças. O delegado também já solicitou perícias e levantamento de evidências no local de crime.
Motorista de carro-forte foi vítima de bandidos na Paraíba (Foto: Walter Paparazzo/G1)Motorista de carro-forte foi vítima de bandidos na
Paraíba
saiba mais
Em seguida, um dos criminosos deixou o local para seguir o motorista do carro-forte, ainda segundo o relato da testemunha. Os reféns só foram liberados por volta das 10h, mas, antes, os bandidos colocaram objetos parecidos com explosivos no botijão de gás da casa.
 
De acordo com o delegado do GOE, a Polícia Civil esteve no local de crime, ouviu testemunhas e solicitou perícias. “Nós requisitamos ao Instituto de Polícia Científica alguns exames, entre eles constatação de dano e veículo. Além disso, ouvimos quatro pessoas, funcionários da empresa, depoimentos muito importantes para as investigações”, relatou.

Para salvar os familiares, o motorista do carro-forte foi obrigado a entregar o veículo para os criminosos. De acordo com as informações da assessoria de imprensa da Polícia Rodoviária Federal na Paraíba, seguindo orientações dos sequestradores, o homem desviou da rota prevista pela empresa para entregar o carro-forte aos sequestradores. 
 
Na hora da fuga, os bandidos amarraram objetos parecidos com explosivos ao motorista.
Os criminosos retiraram o dinheiro que estava no carro-forte e em seguida explodiram o veículo em uma usina no município de Santa Rita, na Grande João Pessoa. O motorista conseguiu uma carona até o posto da PRF em Bayeux. Lá, contou o que havia acontecido e os policiais chamaram reforços da Polícia Militar, Polícia Civil e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).
Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) se prepara para retirar artefato de motorista de carro-forte na Paraíba (Foto: Walter Paparazzo/G1)Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) retirou o artefato preso ao motorista do carro-forte
No posto da PRF, os policiais conseguiram retirar o objeto que estava amarrado ao corpo da vítima e em seguida detonaram o artefato. A polícia ainda não tem informações da quantia levada pelos bandidos e segue investigando o caso.