“Não teve como parar’, disse um dos ajudantes.




































J1/Créditos/190pb/Bayeux em foco