Conheça os 4 lugares onde morrer não é permitido


Quando algo tão natural e inevitável como a morte é banida, parece um pouco ilógico. Você ficaria surpreso ao saber que realmente existem alguns lugares na Terra onde a morte foi proibida e considerada ilegal. Na verdade, parece que esta é realmente uma prática antiga, o mais antigo exemplo conhecido da proibição da morte foi no século 5 aC, quando morrer não era permitido por motivos religiosos na ilha grega de Delos. Cada lugar tem uma razão própria, variando de crenças religiosas a fatores ambientais.
Vamos dar uma olhada em quatro lugares onde a morte é proibida no mundo de hoje:
 Itsukushima – Japão

Segundo a crença xintoísta, a ilha japonesa de Itsukushima é um lugar sagrado, e a manutenção de sua pureza é a maior preocupação. Assim, em uma tentativa de manter a santidade da ilha, os sacerdotes do santuário têm trabalhado muito duro para garantir que nenhuma morte ocorra por lá. Desde o ano de 1878, mortes ou nascimentos não são permitidos próximo ao santuário. As mulheres grávidas, quando se aproxima a data do nascimento da criança não são permitidas ficar ali, nem os idosos ou doentes terminais.
A única batalha que já ocorreu em Itsukushima foi a Batalha de Miyajima, em 1555, após o qual o vitorioso comandante ordenou que os corpos fossem removidos imediatamente para o continente. Toda a ilha ficou purificada do sangue que foi derramado, o solo encharcado de sangue foi retirado da ilha. Bem, isso não foi uma traição? Porque não importa o quanto eles limparam, as mortes claramente aconteceram. Ainda assim, hoje morrer não é permitido em Itsukushima.
Longyearbyen – Noruega
A cidade de Longyearbyen,nas Ilhas Svalbard da Noruega tem uma regra semelhante. Morte é proibida, e a cidade tem apenas um pequeno cemitério, que parou de aceitar novos enterros há 70 anos. A razão – os corpos nunca se decompuseram. Foi descoberto que os corpos enterrados em Longyearbyen, na verdade estão perfeitamente preservados pelo frio intenso. Os cientistas ainda removeram tecidos de um homem que morreu durante uma epidemia em 1917 e encontraram vestígios intactos do vírus da gripe.
As pessoas que estão gravemente doentes ou que se espera morrer logo são despachadas por via aérea ou marítima para uma parte diferente da Noruega, onde passam os últimos dias de suas vidas.
Falciano del Massico – Itália
Em Falciano del Massico, uma pequena cidade no sul da Itália, a história é um pouco diferente. As pessoas não têm permissão para morrer, não por causa do ambiente ou crenças religiosas, mas simplesmente porque não há nenhum espaço sobrando para os mortos para serem enterrados. O prefeito emitiu uma ordem no início deste mês que declarou: “É proibido para os moradores ir além dos limites da vida terrena, para ir para o além”. Desde que as fronteiras locais foram redesenhados em 1964, Falciano del Massico está em disputa com uma cidade vizinha sobre os direitos ao velho cemitério. O prefeito decidiu agora construir um novo cemitério, mas até então, as pessoas receberam ordens para adiar suas mortes.
Sarpourenx – França
Um decreto que proíbe as pessoas de morrerem foi novamente emitido pelo prefeito de Sarpourenx, uma pitoresca aldeia no sudoeste da França. A decisão foi tomada depois que um tribunal francês recusou a permissão de planejamento para aumentar o cemitério existente da cidade. Mas o prefeito Gerard Lalanne foi mais longe, ele não só proibiu a morte, mas aqueles que se atreverem a morrer vão ser severamente punidos. Embora, ainda não está claro o que vai virar essas sanções. Afinal, como você poderia punir os mortos? Um caixão sem forro? A decisão do prefeito tem deixado os moradores de Sarpourenx preocupados. “O que vai acontecer comigo se eu morrer”, eles perguntam. Bem, é o que todos nós queremos saber?