O lutador Buscapé também protestou
O lutador Buscapé também protestouO momento de instabilidade econômica vivido pelo Brasil e os protestos populares chegaram até o Ultimate. Neste sábado (21), no UFC Fight Night 62, realizado no Rio de Janeiro, alguns lutadores fizeram suas as manifestações políticas após  vitórias no octógono. Insatisfeitos, os atletas protestaram contra o pouco incentivo à educação, contra a corrupção, e houve até quem pedisse pela renúncia da presidente da república, Dilma Rousseff.
O primeiro a mencionar o assunto foi Leandro Buscapé, ainda no card preliminar da atração. Segurando uma bandeira brasileira após vencer de maneira polêmica o norte-americano Drew Dober, o atleta protestou contra a corrupção dos políticos.
Na luta seguinte, Kevin Souza, que atropelou Katsunori Kikuno com um nocaute, pediu para que os governantes dessem um incentivo maior aos professores e às crianças. Por fim, Gilbert Durinho, pupilo de Vitor Belfort, foi mais incisivo após vitória sobre Alex Cowboy e gritou: “Dilma, pede para sair”, disse, ao microfone.
O presidente do UFC, Dana White, mostrou surpresa com as declarações, mas afirmou que não sabe o que fará a respeito no futuro. “Isso não acontece em outros lugares, só aqui no Brasil. A torcida também estava lá e cá na política. Só digo aos atletas para que eles não xinguem na TV.  Mas não sei o que fazer, isso nunca aconteceu antes. Nunca tivemos de lidar com isso. Acho que eles devem ter liberdade de expressão e dizer o que quiserem”, afirmou.
O evento deste sábado foi o segundo dos sete que deverão ser realizados no Brasil em 2015. O retorno do Ultimate ao país será em 30 de maio, em Goiânia (GO).
Terra