Entre namoro e casamento, Pâmela conviveu com o governador Ricardo Coutinho cinco anos e viu e ouviu muita coisa nos bastidores do poder.

Seria Pâmela Bório uma bomba-relógio com data e hora para explodir?
Sem querer, no dia em que Rachel Sheherazade escreveu aquela crônica criticando o carnaval, selou o destino de uma baiana que estudou jornalismo em Juazeiro. A partir daí, Rachel ascendeu à bancada do SBT Brasil e aquela que veio fazer o Feminíssima e depois lhe substituir na bancada do telejornal local, acabou virando primeira dama da Paraíba.
Falo de Pâmela Bório e da cadeira poderosa de apresentadora da TV Tambaú, que, apesar de não liderar a audiência, catapulta suas âncoras para lugares antes inimagináveis.
É por isso que vejo o destino de ambas interligado e, misticamente, acredito que nada acontece por acaso. Ambas se parecem no quesito não ter papas na língua.
Rachel faz a audiência do jornalismo da empresa de Sílvio Santos conquistar precisosos pontos quando diz o que pensa; Pâmela causa frisson quando posta o que diz. E ambas estão tirando o sono de alguns políticos.
A MULHER BOMBA - Entre namoro e casamento, Pâmela conviveu com o governador Ricardo Coutinho cinco anos e viu e ouviu muita coisa nos bastidores do poder. E por ser personagem dessa história que não temos acesso, tudo que diz ou insinua logo vira polêmica pela expectativa de fatos ocultos virem à tona.
Todo mundo sabe que ex-mulher e ex-secretária são bombas-relógios em potencial, constantemente armadas para explodir. No caso de Pâmela existe o agravante por ela ser jornalista, uma repórter fulltime que circulou por onde ninguém da imprensa teve acesso.
Pâmela também é modelo, sua segunda profissão, e por isso também causa frissom quando posta fotos ousadas como as que ilustram esse artigo e que se tornaram públicas quando as postou no seu Instagram.


Há quem diga que ela tem potencial para voos mais altos, que, assim como Rachel, tem asas para decolar no cenário nacional, seja como jornalista, seja como modelo, inclusive com insinuações de que mantém aberto o diálogo aberto com a revista masculina Playboy, inicado quando ainda era primeira dama da Paraíba.
Mas, nada incomoda tanto uns e alegra tantos outros do que o que a ex-primeira dama pode revelar em livro ou juízo.
E não falo apenas do que insinuou recentemente sobre o Jampa Digital e o esquisitíssimo assassinato ( ou execução ?) do jovem Bruno Ernesto, que teria descoberto a safadeza e pode ter virado queima de arquivo, mas sobre coisas que, se tornadas públicas, complicam a vida de muita gente.

E, para quem não sabe, revelo agora que foi a própria Pâmela quem vazou fatos de sua relação em forma de recados para os possíveis algozes ficarem cientes de que ela não está só, a exemplo dessa foto abaixo onde estão juntas pelo destino o fogo e o estopim, Pâmela e Rachel.

Só não entendo como é que ela não foi convocada ainda para dizer o que sabe...












Blog do Dercio