Após votar contra o impeachment da presidente Dilma, o deputado Jean Wyllys (Psol-RJ) se dirigiu ao desafeto, Jair Bolsonar (PSC-RJ), cuspiu no colega parlamentar e correu como uma criança que sabe ter feito a coisa errada (vídeo abaixo).

Como são do mesmo estado, o voto de Bolsonaro foi dado momentos antes e incomodou o deputado do Psol, que recorreu à agressão.

Wyllys, que já teve um pedido de abertura de processo de cassação, pode ser alvo de nova representação no Conselho de Ética por quebra de decoro parlamentar.

Wyllys disse ter sido insultado por Bolsonaro. "Na hora que eu fui votar, esse canalha decidiu me insultar na saída e tentar agarrar meu braço; ele ou alguém que estivesse perto dele. Quando eu vi o insulto, eu devolvi com um cuspe na cara dele, que é o que ele merece", afirmou.

Bolsonaro disse que a cusparada foi um fato gravíssimo, mas ele não decidiu se processará o parlamentar.

"Eu vou ver o que eu faço. Isso aí é gravíssimo. Uma cusparada não pode existir no parlamento. Não gosto de processar ninguém, não. Tenho centenas de processos aí por homofobia. Respeito os outros e tenho direito a ser respeitado nas minhas ideias, palavras, votos e opiniões. Uma cusparada foge da normalidade", declarou Bolsonaro.