O prefeito é investigado pela Polícia Federal por suspeita de fraudar o funcionamento de um hospital público em Montes Claros, cidade onde Muniz é prefeito

  A Policia Federal prendeu na manhã desta segunda-feira o prefeito de Montes Claros,. Ruy Muniz (PSB). Também foi detida a secretária de saúde do município, Ana Paula Nascimento. Eles são suspeitos de fraudes na saúde para favorecer o Hospital das Clínicas Mário Ribeiro, que pertence à Soebras, grupo educacional fundado por Muniz. As prisões foram decretadas pelo Tribunal Federal da Primeira Região de Brasília. O prefeito foi preso em Brasilia, onde, ontem  à noite, acompanhou sua mulher, a deputada federal Raquel Muniz (PSD), na votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O video do voto dela, pelo "sim", repercute nas redes sociais.


Segundo a Policia Federal, “as investigações demonstram que os acusados, direta e indiretamente, valendo-se meios fraudulentos, tentaram destruir e/ou inviabilizar a existência e o funcionamento dos hospitais públicos (Hospital Universitário Clemente de Faria) e filantrópicos  (Santa Casa, Fundação Aroldo Tourinho e Fundação Dilson Godinho) de Montes Claros, que atendem uma população de aproximadamente 1,6 milhão de pessoas, distribuídas nos 86  hospitais do Norte de Minas”. A PF  cita que, em outubro de 2015, o prefeito e a secretária fizeram a retirada de cerca de 26 mil consultas e especializadas e 11 mil exames dos hospitais, “deixando de prestar os correspondentes serviços pela rede municipal, causando graves problemas à população”.


Com isso, relata a PF, “os acusados pretendiam favorecer o Hospital das Clínicas Mário Ribeiro da Silveira (Ambar Saúde), “pertencente e gerido, de fato pelo prefeito municipal, seus familiares e respectivo grupo econômico”.  Ainda conforme a Policia Federal, o prefeito e a secretária vão responder pelos crimes de falsidade ideológica, dispensa indevida de licitação pública, estelionato, prevaricação e peculato. Policiais federais também cumpriram mandados de busca e apreensão na sede da prefeitura e na casa de Ruy Muniz.


Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Montes Claros informou que ainda está se inteirando dos fatos e vai divulgar nota oficial. Mas, alegou que o prefeito está tranqüilo de que “não cometeu nada de irregular”. Informou ainda que a administração municipal continua funcionando normalmente.



IMPEACHMENT No domingo, durante a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff, a mulher do prefeito, a deputada federal Raquel Muniz (PSD-MG) votou pelo impedimento de Dilma, afirmando na ocasião que "seu voto era para mostrar que o Brasil tem jeito e o prefeito de Montes Claros nos mostra isso com a sua gestão". Poucas horas depois, a PF prendia Ruy Muniz. Veja o vídeo abaixo





Confira a íntegra da nota do prefeitoRuy Muniz e Ana Paula Nascimento são pessoas de bem, altamente
qualificadas, possuem endereço fixo e prestam um serviço público
acompanhado diariamente por centenas de servidores municipais, estaduais
e federais.
Não há razão jurídica para prisão preventiva dosmesmos por não haver
risco a ordem pública, nem perigo de fuga dos acusados e nem haver
qualquer indício de obstrução da justiça. Há simmotivação política na
ação do Ministério Público Federal em tratar a questão dos contratos dos
hospitais de Montes Claros junto ao Sistema Único de Saúde de forma a
criminalizar ações de governo legítimas, embasadas em pareceres técnicos
de servidores concursados que concluíram que os serviços contratados não
estavam sendo plenamente prestados.
Ruy Muniz e Ana Paula já prestaram espontaneamente esclarecimentos aos
órgãos de controle do Estado e da União. Não há desvio de recursos
públicos. Não há nenhum desvio de conduta por parte dos gestores da
saúde municipal. Todos os recursos são aplicados sob o intenso crivo do
Conselho Municipal de Saúde e da Secretaria Estadual da Saúde, atual
detentora do poder de contratar prestadores hospitalares.
A divergência política impera no caso da gestão da saúde do município de
Montes Claros. De um lado toda a equipe técnica da Prefeitura Municipal
liderada pela Secretária de Saúde e seu Prefeito Municipal com a clara
filosofia de contratar produtos e serviços à preços justos, auditar os
prestadores e pagar pelo que efetivamente é entregue. De outro um grupo
político claramente alinhado aos prestadores e ao Governo do Estado.
Visam única e exclusivamente um projeto de poder destrutivo que aparelha
instituições públicas. Estão insatisfeitos com perda de privilégios
junto a Prefeitura e manifestam público desejo de vingança e atua em
diversas frentes para desestabilizar a gestão do Prefeito Ruy Muniz.
A Prefeitura de Montes Claros implantou a secretaria de Prevenção e
Combate à Corrupção e mantém ações constantes em prol da preservação do
patrimônio público. Num país que passa por uma crise política, econômica
e ÉTICA, a atual gestão adotou o lema TOLERÂNCIA ZERO ÀCORRUPÇÃO.
Todos os serviços da Prefeitura continuarão em regime de NORMALIDADE. As
escolas municipais funcionarão normalmente, as unidades de saúde
atenderão dentro da rotina usual, a limpeza urbana e todos os demais
serviços continuarão à disposição dos cidadãos.
Queremos acreditar que o timing dessa decisão judicial e consequente
ação policial não tenha relação com os fatos ocorridos no dia 17 de
abril. Ainda estamos checando as informações, datas e solicitando a
cópia integral da decisão judicial. Temos fé nas instituições
brasileiras. Confiamos na justiça e respeitaremos qualquer decisão
judicial, ainda que não concordemos com o seu teor.
Solicitamos a todos os que apoiam nosso projeto que se mantenham
vigilantes para qualquer arbitrariedade. Não temos nada a esconder.
Somos pessoas de bem e estamos à disposição da justiça e da sociedade
para qualquer esclarecimento.

Assessoria do Prefeito Ruy Muniz